26/10 - Gazin

Dicas para não cair em golpes financeiros

Leia, fique atento e passe adiante.

Dez milhões de pessoas foram vítimas de golpes financeiros entre janeiro de julho de 2020, segundo informações publicadas no site Techtudo. Conseguir evitar golpes como esses, exige uma postura de atenção permanente por parte do consumidor. Por isso, separamos algumas dicas que vão ajudar você a fugir de golpistas.


Cuidado com e-mails e ligações

Recebeu ligações ou e-mails com ofertas ou pedidos de informações? Nesse caso, não forneça senhas, números de cartão de crédito, endereço ou qualquer dado sensível. Desconfie de qualquer contato que diga se tratar do banco, da financeira, da companhia de água, luz, gás ou telefone.

Para sua segurança, faça contato você mesmo para a sua agência ou o seu gerente, ou para o número do Serviço de Atendimento indicado no site oficial da empresa na internet. É fundamental buscar sempre os canais oficiais presentes no site da empresa.

 

Atenção com links recebidos via redes sociais ou aplicativos

Muitas notícias falsas, as famosas fake news, costumam circular por redes sociais e serviços de mensagens instantâneas, como o WhatsApp. Tome bastante cuidado com o que receber por essas fontes. Para evitar golpes, dê preferência a canais oficiais de informações, como a página oficial do seu banco ou do Banco Central.

Se receber links de fontes suspeitas, não clique. Esses links podem instalar programas que roubarão informações sensíveis, como senhas bancárias e números de cartão de crédito.

 

Lojas de ‘fachada’ e boletos falsos são golpes comuns

A compra pela internet faz cada vez mais parte da nossa vida. Apesar da conveniência, esse hábito abre espaço para golpistas. Um dos golpes mais comuns são as lojas “de fachada”. Esses estabelecimentos oferecem produtos e serviços em condições muito vantajosas, mas, depois da compra, não fazem a entrega. Outro, são os boletos com códigos de barra verdadeiros, mas informações falsas sobre o beneficiário. Nesse caso, o boleto traz os dados de uma suposta loja ou pessoa específica, mas o verdadeiro destinatário do recurso é o próprio golpista.

 

Anote alguns cuidados essenciais a serem tomados ao se comprar pela internet:

- Desconfie de preços muito abaixo dos praticados no mercado;

- Pesquise se a loja realmente existe e se opera de forma regular;

- Consulte se essas empresas possuem reclamações registradas em sites especializados ou consulte o perfil em consumidor.gov.br;

- Ao pagar o boleto, verifique, no caixa eletrônico, no internet banking ou no aplicativo do celular, se o nome do beneficiário do pagamento é da pessoa ou empresa para quem você pretende transferir o recurso.

 

Desconfie de promessas de soluções financeiras

Desconfie de soluções financeiras, como renegociação de dívidas, ofertas de emprego, saque de FGTS, seguro desemprego ou programas de renda emergencial. Não responda a mensagens, nem clique em links enviados por desconhecidos, ou que tenham aparência estranha – muito extensos ou de sites desconhecidos, por exemplo.

Tenha especial cuidado com arquivos com final “.exe”. Isso significa que é um arquivo executável. Ou seja, que pode instalar um programa no seu celular ou computador e roubar seus dados. Havendo qualquer dúvida, ignore o link e procure diretamente a empresa por meio de seu site oficial na internet.

Os golpes são muitos e vão sempre se atualizando, de acordo com as novidades também no mercado. Fique sempre atento, desconfie de vantagens exageradas e procure sempre os canais de comunicação oficiais de bancos, lojas, empresas ou instituições financeiras ou governamentais. 

Fale Conosco

    0800-644-8282
    Atendimento de Segunda a Sexta
    das 8 às 19hs. Sábado das 8 às 12hs
    (Horário de Brasília)
    E-mail: consorciogazin@gazin.com.br
    Ouvidoria: 0800-644-9292
    consorcio.ouvidoria@gazin.com.br
SIGA-NOS
Afiliada a Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio
©2020 Consórcio Nacional Gazin - Uma empresa do Grupo Gazin - Todos os direitos reservados.
//