01/09 - Gazin

Oito passos para sair das dívidas

Um bom planejamento e muita disciplina podem te ajudar


Se você tem algumas dívidas ou até mesmo se encontra em uma situação de superendividamento, saiba que existem meios de se livrar dessa situação e sair das dívidas. Isso exigirá de você algumas atitudes, que podem parecer um pouco desagradáveis de se fazer, mas que têm o potencial de devolver as tranquilidades financeira e psicológica perdidas devido às preocupações com o excesso de compromissos financeiros.

1) Tomar consciência da situação

Ter a consciência de que se encontra em uma condição de endividamento excessivo e de que é preciso resolver essa situação é um passo fundamental para a saída do endividamento. Nesse momento, é preciso não nos conformarmos com a situação incômoda das dívidas e sentirmos a clara necessidade de buscar uma saída.


2) Mapear as dívidas

Não fuja! É importante conhecer o real tamanho do problema. E conhecer as dívidas é exatamente mapear detalhadamente as informações necessárias: os valores das dívidas, os prazos para pagamento, as taxas de juros que está pagando... De posse de todas as informações, torna-se mais fácil a busca de alternativas para a saída do endividamento.


3) Compartilhar as dificuldades com pessoas que já passaram por situações semelhantes

Compartilhar as dificuldades com pessoas que já tenham passado por situações semelhantes ou que detenham conhecimentos que possam ajudar nessa tarefa é um passo importante para a saída do endividamento.


4) Não fazer novas dívidas

Outro ponto fundamental para garantir a saída de tão incômoda situação é não fazer novas dívidas. Esse é o momento de reorganização da vida financeira e fazer dívidas nessa hora é realimentar um ciclo negativo, dificultando a saída do endividamento.


5) Renegociar as dívidas

Negociar condições mais vantajosas para o pagamento das dívidas é outro aspecto fundamental para a saída do endividamento. Essa é a hora de procurar trocar dívidas que pagam juros elevados por dívidas com juros menores. Negociar os prazos também pode ajudar na reorganização financeira do endividado.


6) Reduzir gastos

Outra ação imprescindível para a saída do endividamento é o corte de gastos. Sobre o assunto, vale a pena refletir sobre os três tipos de gastos: necessários, supérfluos e desperdícios, e analisar em quais dessas três áreas suas despesas se encaixam.


7) Gerar renda extra

Muitas vezes, nosso orçamento já está no limite suportável e, ainda assim, encontra-se deficitário. Adicionalmente à minimização dos nossos gastos, podemos avaliar uma alternativa de ampliar a nossa renda. Procure identificar áreas e serviços em que tenha habilidades, para gerar renda extra e complementar o seu orçamento. Você pode colocar em prática dons artísticos ou culinários, fazer horas extras... Tudo isso pode ser uma boa alternativa para a saída do endividamento e, quem sabe, até se tornar uma nova opção de vida.


8) Buscar ajuda para sair das dívidas

Lembramos ainda que a busca de ajuda, quer por meio de leitura, quer por consultoria, quer por órgãos de defesa do consumidor, é uma opção válida e muito eficaz para a saída do endividamento. É claro que, preferencialmente, essa ajuda não deve ter custo algum.

Com disciplina e comprometimento, você verá que é possível sair do endividamento e levar uma vida mais apropriada à sua realidade financeira. Além disso, você vai ver que é muito mais fácil evitar o endividamento do que sair dele.



*Esse texto foi escrito com informações do projeto “Cidadania Financeira”, do Banco Central (BC).

Fale Conosco

    0800-644-8282
    Atendimento de Segunda a Sexta
    das 8 às 19hs. Sábado das 8 às 12hs
    (Horário de Brasília)
    E-mail: consorciogazin@gazin.com.br
    Ouvidoria: 0800-707-4580
    consorcio.ouvidoria@gazin.com.br
SIGA-NOS
Afiliada a Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio
©2021 Consórcio Nacional Gazin - Uma empresa do Grupo Gazin - Todos os direitos reservados.